quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Viagens || Barcelona - 1ª parte

Olá meus amores!
Como estão?
Continuo desaparecida, eu sei, mas são por razões muito boas, acreditem. Um dia destes explico-vos tudo.
Hoje venho partilhar convosco a minha primeira viagem, ou melhor, a minha primeira viagem feliz. Eu já tinha viajado para a República Dominicana há uns 5 anos atrás mas... não gostei, por variadíssimas razões. Portanto, esta considero a minha primeira viagem em que fui feliz e vim de lá apaixonadíssima.
Este post vai ser partido em duas partes para que não se torne demasiado maçudo para vós.

Ora bem, costuma-se dizer que quem tem um amor tem tudo (ou quase tudo, vá), e o meu convidou-me para irmos passear 4 dias a Barcelona.
Acho que toda a gente sabe mas, para quem não sabe, Barcelona é uma cidade no norte de Espanha, perto da fronteira com França.



A aventura começou logo na 2ª feira no aeroporto. Chegamos em cima da hora da partida do avião e, adivinhem, perdemos o bicho. O vôo tinha hora marcada para as 6.45h da manhã e chegamos à porta de embarque eram 6.35h mas as portas já tinham fechado há 5 min. Really, TAP?? Por 5 min?? 
Bom, o próximo passo foi procurar uma nova companhia que nos arranjasse vôo ainda para aquele dia. A TAP disse-nos que só havia vôo às 21h e pediu-nos um rim por dois bilhetes. Esquece lá isso!
Fomos até à Vueling e lá conseguimos dois vôos para as 9h da manhã a preço low cost. Ainda assim, na minha opinião, foi quase dar meio rim. Mas adiante.
Às 9 da manhã estavamos nós a levantar vôo rumo a Barcelona. Demoramos, mais ou menos, 1h, chegamos às 11 e pouco da manhã (hora de Barcelona, por ser mais uma hora do que em Portugal).
O vôo correu bem, perguntam vocês? Eh... Tendo em conta que foi a minha segunda vez a viajar de avião, a somar à turbulência que apanhamos para lá e o facto de quase ter arrancado uma mão ao meu gajo de cada vez que sentia o avião a abanar, mais o momento maravilhoso em que olhei pela janela e olhei lá para baixo e só pensei "se esta merda cai, 'tou fodida, não sei aonde me vou agarrar", fora tudo isso, a viagem correu bem. 
Quando entrei no aeroporto de Barcelona e ao caminhar para o local onde iríamos colher a bagagem só pensava "caramba...estou em Barcelona!". Sentia-me nas nuvens, super entusiasmada.
Depois de termos a bagagem fomos apanhar o "Aerobus" que nos levaria até ao centro da cidade e, posteriormente, ao hotel. 
Assim que comecei a ver os edifícios o meu queixo foi caindo. A arquitetura deles é uma coisa muito doida, mal sabia eu o que ainda me esperava. 

Chegados ao hotel, depois de fazer o check-in e refrescar-nos um bocadinho (porque estava um calor do demo), saímos para a rua para explorarmos.

Las Ramblas:

Ao descermos em direção à Praça da Catalunha, fomos dar às Ramblas. Jasus senhor... nunca vi uma rua tão comprida e tão cheia de gente. Há de tudo, barraquinhas com recuerdos, gelatarias, floristas, estátuas humanas, tudo.
Fiquei encantada.

















Um dos sítios de paragem obrigatória quando se está na Rambla, é a Pasteleria Escribà. É de ficar boquiaberta com as criações de chocolate. Para quem gosta de doces, especialmente chocolates, é obrigatório visitar e provar as iguarias que por lá se vendem. Mas preparem-se para deixar quase um rim. 





Acabei por comprar o "kiss" por ser bastante apelativo - como podem ver pelas fotos acima. Quando comecei a comer pensei "meh, é uma mousse de chocolate branco com um coulis espesso de frutos vermelhos por cima", mas quando comecei a avançar para o meio... meu deeeeeeus! Que coisa mais boua! Por dentro tinha uma camada fina de pão de ló, outra muito fina de um creme de caramelo e outra camada fina de creme de maracujá. Jesus... Não tivesse dado um rim por isto que tinha lá ido buscar mais uns 5 (sim, que só um não enche nem a cova de um dente).

Mercado de La Boquería: 

O mercado de La Boquería fica situado numa das laterais da Rambla. É o mercado municipal mais antigo de Barcelona que atrai não só os locais mas também os turistas.
Neste mercado encontra-se de tudo, desde bancas a vender artesanato, vinho, tascas com petiscos, talhos, bancas de frutos secos, e, espantem-se, bancas a venderem copos de fruta fresca e sumos naturais.





Restaurante 'La Fonda':

Ao fim do dia, acabamos por ir jantar ao restaurante La Fonda. Comemos uma paella (é obrigatório experimentar as paellas!) e, como sobremesa, comi uma fatia de tiramisú. Nhami!
Gostei muito do restaurante, tem um ambiente super agradável, a comida é boa e o atendimento é q.b.





Depois do jantar, caminhamos pela Rambla acima, rumo ao hotel (no meu caso foi rumo à cama que eu estava mais morta do que viva).  Ainda assim, mesmo à noite, a Rambla estava cheia de gente, cheia de movimento e animação (inclusive cheia de "meninas" ao serviço). 

Por hoje é tudo. Não percam o próximo capítulo (porque nós também nãaaao!).

Beijinho






sexta-feira, 11 de agosto de 2017

|| Amor para a vida toda

Parabéns meu amor, muitos parabéns.
11 anos da tua vida e 4 sem te ver.
Não, eu não me esqueci de ti. Também não te esqueceste de mim, eu sei.
Continuam a impedir-nos o abraço, continuam a culpar-me por te ter tentado proteger, continuam a fazer de mim o lobo mau da história quando são eles que te fazem comer a maçã envenenada todos os dias da tua vida.
O que eles não sabem é que o nosso amor é para a vida toda, como diz a música. E um amor como esse não afrouxa, não se aniquila e nem morre.

Há 11 anos atrás estava eu na praia com umas amigas quando recebi a boa nova de que ias nascer. Quando te peguei ao colo pela primeira vez e te aconcheguei no meu colo, tão pequenina, tão frágil, tão doce, ali senti que era um amor para a vida toda.
Troquei-te muitas fraldas, dei-te a primeira sopa, segurei-te nos primeiros passos, consolei-te nas dores dos dentes a nascer, adormeci-te ao colo vezes incontáveis, dormimos juntas a sesta outras tantas, deixaste-me puto da vida quando me rasgaste meia dúzia de folhas do livro de código da estrada que estava em cima da minha cama por me ter ausentado uns minutos só para ir à casa de banho, assisti deliciada a cada vez que davam os anúncios de publicidade na televisão e tu ficavas vidrada a olhar, cantei e dancei em repeat a música da Lily sobre querer falar com o papá, aplaudi os teus desfiles com os meus sapatos de salto alto calçados e a minha mala no teu ombro, saboreei os nossos almoços com batatas fritas nas férias de verão, protegi-te sempre das asneiras que fizeste e que a avó nunca soube, orgulhei-me das tuas primeiras notas da escola, surpreendi-me com o teu mau feitio tão igualzinho ao meu.

No baú das memórias guardo os desenhos que fizeste para me oferecer no último natal e no último dia da mãe que estivemos juntas. No coração guardo o dia em que me disseste que gostavas muito que eu fosse a tua mãe.

Sempre me disseram que "a esperança é a última a morrer". Já são 4 anos agarrada a ela, com a certeza absoluta que o amor sempre vence, demore o tempo que demorar.

Um dia ainda te vou voltar a abraçar e aconchegar no meu colo, porque os meus braços serão sempre suficientes para te segurar.
Um dia vou-te explicar que a justiça às vezes funciona, e que o karma... ahhh o karma... nunca falha.
Um dia havemos de dar as mãos e nunca mais as largar, mostrar-te os lugares incríveis onde levo os teus primos para serem felizes, dar-te a provar os meus novos brigadeiros de chocolate.
Um dia vou-te explicar que nunca desisti de ti e que no mundo continuarão a existir pessoas más, mesmo aquelas a quem chamamos de pais, mas que nem mesmo essas terão qualquer poder para abafar um amor que prometemos ser para a vida toda.
Um dia havemos de soprar as velas juntas e pedir novos desejos, porque aquele de voltarmos a estar juntas deixará de estar na lista.

Por agora sê feliz, sorri muito, mostra ao mundo o teu brio, faz-me orgulhosa e mantém-te firme. Sopra as velas daí que eu irei aplaudir-te daqui, todos os dias da tua vida.


Desta tua tia/madrinha que jamais te esquece e que te amará ... a vida toda.





terça-feira, 27 de junho de 2017

Review || Creme de mãos do Boticário - Vinoterapia

Os cremes de mãos estão para mim como o Trump está para o mundo: não dá.
Aquela sensação escorregadia que me impede de pegar as coisas a seguir é demasiado irritante, o que me fez desistir deste tipo de produtos para as mãos.
Quando a Catarina, consultora do Boticário e parceira aqui do estaminé, me enviou um creme de mãos para eu testar, confesso que gelei e disse para os meus botões "isto vai correr mal" mas resolvi dar-lhe uma oportunidade.
Depois de testar o produto durante algum tempo, eis que vos trago a minha opinião sincera sobre ele, e sim, é sincera e imparcial, como sempre fui ao falar de qualquer coisa aqui no blog. Falo-vos do creme de mãos da gama nativa Spa Vinoterapia do Boticário.



Embalagem: Comecemos por aquilo que salta logo à vista quando adquirimos um produto, a embalagem. A embalagem é simples, com cores apelativas em tons de vinho. É em bisnaga, portanto, basta apertar que o produto sai. 
Em termos de tamanho é ótimo, traz imenso produto (75g) e basta uma gota para espalhar pelas duas mãos. Até aqui tudo bem, tudo normal.

Produto: Aqui é que a coisa aquece. Como eu disse acima, eu sou muito esquisita com creme de mãos, portanto, quando testei o produto ia com pouca fé de que fosse gostar. Mas não é que me surpreendi? Ao aplicar o creme nas mãos a sensação inicial é aquela que eu detesto, a pegar e tudo a escorregar, mas depois passados uns minutos de a pele absorver, as mãos ficam impecáveis. 
Por norma aplico-o à noite e insisto bastante na zona das unhas e cutículas e isto porquê? Porque a marca diz que é um produto rico em antioxidantes originários das sementes e casca da uva. É aqui que estão concentrados os polifenóis (poderosos antioxidantes). E o que é que estes meninos fazem? Protegem e revitalizam a pele da ação do tempo e das agressões externas, além de promover o fortalecimento e restauração das unhas, não danificando o esmalte.
A marca recomenda aplicar de manhã e à noite, mas sou-vos sincera, de manhã não tenho paciência para cuidar das mãos, o tempo já é pouco. Então tenho aplicado sempre à noite. 
E o cheiro, gente? O cheiro é maravilhoso, quente e reconfortante. Dá vontade de andar sempre a snifar as mãos. 




A minha opinião: Já deu pra perceber que gostei do produto, certo? Primeiro por ter uma embalagem resistente e prática de transportar para qualquer lado, depois pelo cheirinho maravilhoso e, claro, pelo efeito que faz às mãos. Agora que estamos no tempo quente, as minhas cutículas secam demasiado e ficam com aquele aspeto de pele ressequida, e a verdade é que este creme ajuda a combater isso porque hidrata-as bastante bem. Além de que as mãos ficam suaves que é uma maravilha.
Em relação à parte escorregadia, ele demora alguns minutos a ser absorvido pela pele, mas como aplico à noite não me faz impressão. Mesmo que eu tenha necessidade de aplicar durante o dia, consigo perfeitamente continuar a fazer a minha vida e a pegar nas coisas que não me escorrega nada. Obviamente que sinto que tenho creme nas mãos porque ele deixa a pele diferente, mas não é algo que me incomode, comparando a outros cremes que tive de pôr de lado por me incomodarem muito. 
Se vale a pena? Sim, vale, sem dúvida alguma.

Preço: Sinceramente não sei quanto custa este creme, mas isso é algo que a Catarina vos poderá informar. Basta contacta-la através do email que está ali do lado direito no separador "Parcerias" ou então irem a BotiGirl 

Espero que tenham gostado. Agora que já estou de férias da faculdade irei estar mais presente por aqui, em breve terei muita coisa boa que andei a acumular nestes últimos meses para vos mostrar/contar.

Beijinho






quinta-feira, 1 de junho de 2017

Review || Intense Orgasmic Gel da durex

Atenção: este post não é recomendado a pessoas maldosas, cheias de tabus e antiquices da idade da pedra. Se te enquadras numa destas categorias tens a opção da cruzinha ali em cima do lado direito.

Sexo.
Essa palavra tão simples e deliciosa mas ainda tão cheia de tabus.
Mas aqui no estaminé não há cá disso, e por isso hoje vamos falar de sexo. Este post é dirigido em especial às mulheres despidas de preconceitos, que se valorizam e se amam, até no sexo.

Hoje venho-vos falar sobre um produtinho que descobri recentemente e que anda por aí a fazer um sururu em tudo o que é redes sociais, falo-vos do gel intense da durex.
Que fique claro de que a minha opinião, como em tudo o que aqui publico, é imparcial, direta e objetiva, e não é por falar sobre algo tão íntimo que serei diferente na minha postura, até porque eu sou uma mulher sem preconceitos e acredito que o sexo é para todos, desde que feito de uma forma consciente e transparente. Posto isto, vamos lá falar sobre este pequenote.



Isto trocando por miúdos são gotinhas mágicas. 
Não, não estou a exagerar. Mas vamos por partes. 

O que promete: Que gel é este afinal? A durex diz que isto é um gel estimulante clitoriano concebido para orgasmos mais intensos. A sua fórmula foi concebida para dar sensações de calor, frescura e titilações que aumenta a sensibilidade da área íntima que, por sua vez, proporciona um prazer mais intenso. Para isso basta aplicar umas 2/3 gotas no clitóris e tcharaaaan, faz-se magia.

Embalagem:  Pessoalmente adoro a embalagem (ou não fosse eu a gaja do rosa!). O produto vem numa embalagem em tubo rosa com pump e traz 10 ml que, segundo a marca, dão para umas 20 utilizações. 






Produto: O produto é um gel normal transparente e sem cheiro. 



Preço: 12€ no pingo doce

A minha opinião: Meniiiina do céu! Quéqué isso... Isto aqui é um passaporte direto para a lua, sem direito a paragem!
Eu confesso que quando soube que isto existia fiquei logo com a pulga atrás da orelha e, claro, fui logo comprar para experimentar e decidi faze-lo de duas formas: primeiro usei sozinha e depois com o meu parceiro.
Quando usei sozinha fiquei logo fã! Por norma eu demoro muito a atingir o orgasmo, mas com estas gotinhas mágicas, atingir o orgasmo sozinha com a masturbação foi coisinha fácil. E o melhor de tudo, e que eu nunca tinha sentido antes, é que consegui ter orgasmos múltiplos devido ao calor e frescura que este gel provoca ao mesmo tempo. Eu fiquei abismada. 
Mas faltava ainda tirar a prova dos 9 e perceber se resultaria também com o meu parceiro. Quando usamos, no fim só ouvi o homem dizer "jesus..." ahahahahah, portanto, acho que está respondida a grande questão do "funcionou?". Funcionou e foi tão mas tão intenso, tive sensações tão mágicas que no fim eu sentia o meu corpo a flutuar, literalmente. 
Portanto, minhas amigas, se vós sois adeptas do "sexo bom para os dois" e de que a mulher também tem o direito de se sentir plena e satisfeita, têm aqui umas gotinhas mágicas que vos podem ajudar nesse quesito. 
Eu recomendo, sem dúvida. 

E pronto, por hoje é isto. Agora que já partilhei a boa nova, vou voltar para o estudo que os exames não perdoam. 

Beijinho e sejam felizes, no matter what





sexta-feira, 26 de maio de 2017

|| Conversas de almofada #2

Gostava de amar só um bocadinho.
Há tanta gente que ama só um bocadinho!
Quando se ama só um bocadinho aprende-se a viver com a falta, a ausência torna-se parte da história.

Mas eu não te sei amar um bocadinho. Perdoa-me a falha.

Onde há um abraço, demora-te.
Mas eu não posso demorar-me no teu, porque me falta a capacidade de suster o ar só para te dar um bocadinho do que sou.
Não posso apertar-te a mão com força, porque tenho medo de me colocar nela inteira.
Não te posso beijar profundamente, porque corro o risco de suspirar o meu coração inteiro pela boca.
Tenho que amar só um bocadinho para não te sufocar.

Hoje não entraste pela porta dentro para escovar os dentes ou tirar as lentes.
Hoje não te acariciei a barba e sorri como uma miúda feliz como sempre fiz.
Hoje não pude encostar os meus pés nos teus a meio da noite, depois do sonho mau.

Não sou uma boa escolha todos os dias. Perdoa-me a falha.

O Salvador disse ao mundo que não se ama sozinho.
Mas talvez, devagarinho, possas aprender que não se ama só um bocadinho.











quarta-feira, 24 de maio de 2017

|| A (des)graça dos Globos de Ouro 2017

Se tivesse que intitular os Globos de Ouro deste ano, era este o título escolhido.
Minha gente...  O que se passou este ano??

Eu não percebo um caroço de moda, mas percebo muito de bom senso e foi muito a falta dele que desfilou naquela red carpet.
Inicialmente pensei fazer um top maus, mas depois desisti da ideia porque dava muito trabalho vasculhar alguma coisa boa dentro daquilo que já era tão mau.




Este ano reinaram as transparências. Os estilistas tiveram em conta o cheiro a cavalo, e vai daí criaram isto para ajudar no arejamento. 


Se ficasse por aqui diria que nem era mau de todo mas... À parte das transparências, houve quem tenha optado por se embrulhar em cortinados e "vamozimbora prá festa comer e boer!".



Ora bem... Não tá mal, mas assim de repente parece que a moça saiu num instante das gravações do Game of Thrones para ir para os Globos de Ouro. 




Débora, miga, o que se passou contigo este ano? Tu que até és um avião... Parece que te vestiram um farrapo transparente todo cuspido de branco com a técnica do "respingos com escova de dentes". Vê-se as cuecas, nem tudo é mau.


Os gajos do "Querido, mudei a casa" devem andar à procura do papel de parede. Alguém que avise a senhora, faxavore.




Que é aquela merda que sai do pescoço e acaba no ventre? Será que é algum fetiche BDSM?




Que coisinha mais insípida, jesus... Isto é um misto de transparência com cortinados, não se percebe muito bem o que se passou na cabeça desta rapariga. Mas pronto, mau gosto não se discute.


Ai Maria, Mariazinha... Não precisavas de ter depenado a tua franga de estimação! Podias ter vindo cá a casa que eu deixava-te ver os Globos na minha televisão (até rimou).



Ok, vamos perdoar isto. São só as hormonas de alguém que foi mãe à relativamente pouco tempo (?) e ainda está com o hábito de usar robe o dia todo.


Ao ver isto só me ocorre uma música... "Que Deus me perdooooe". Ele perdoa-te, Joana, ele perdoa-te. Não te esqueças é de pagar à tua mãe!


Bem, temos de ver o lado positivo disto. Se o Jackie Chan precisar de um substituto é só deslocar-se a Portugal. 


Estas figurantes saíram diretamente das gravações do filme "Marie Antoinette". Olho para elas e só me ocorre um diálogo do género "Ai miga, aqui é muito melhor, aqui eles não têm ceroulas!


Ai jesus... Eu acho que ela devia fazer como o pai: dedicar-se aos livros (só!).


Ai Anita, Anita.. Este ano correu-te mal! Estavas com pressa e resolveste levar o avental por cima da lingerie. A Nova Gente promete não mostrar isto a ninguém, nem na tua tertúlia cor-de-pindérica.


Ana Rita, Ana Rita... Quem te disse que ficas bem com esse cabelo rosa desbotado mentiu-te, assim só pareces a Cruela De Vil após 6 meses de Nutribalance.


Se algum dia pensarem em dar continuidade ao filme "O Diabo veste Prada" já têm aqui a substituta para a Meryl Streep e o restante elenco. Botem "O Diabo passou-se" e 'tá feito.


Paz à sua alma, é tudo o que tenho a dizer.


Cortinados parte 1


Cortinados parte 2



"Bora fazer uma homenagem à avó?"
"Bora! Qual o tema deste ano?"
"Cortinados."


O drama, a tragédia, o horror.


"Pai, porque é que me vestiu de algodão doce com topping de chocolate?"
"Foi para combinar com o meu ar meio chic meio budista, assim mostramos ao mundo que somos diferentes e ganho umas páginas na nova gente também que o negócio no salão está fraco."




O que importa é ter saudinha.